day of princess
+
+
Baby, I'm sure
you can free my heart !
“Ela era uma menina que sabia como ser feliz mesmo quando ela estava triste. E isso é importante, você sabe.”
16.10.2014, Há 4 dias + reblog + 81 notas [via/source]
"Eu não vou a lugar nenhum sem Você Deus"
— (via eu-escolhir-deus)

(Fonte: jesus-e-meu-guia)

15.10.2014, Há 5 dias + reblog + 189 notas [via/source]
"Eu nunca vou querer mais ninguém, por que nenhum deles é você."
Escrevas (via escrevas)
10.10.2014, Há 1 semana + reblog + 2.705 notas [via/source]
"Eu tive um sonho ruim e acordei chorando, por isso eu te liguei."
Cazuza (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)

(Fonte: embriagar-se)

10.10.2014, Há 1 semana + reblog + 16.047 notas [via/source]
"O coração dela mais parecia um cemitério de amores."
Remontado.   (via remontado)
27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 13.214 notas [via/source]
"Eles nunca vão ficar. Eles prometem mas nunca ficam."
American Horror Story.   (via velejo)

(Fonte: construindoversos)

27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 39.859 notas [via/source]
"E era você.
E tem sido você.
E vai continuar sendo você."
Caio Fernando Abreu.  (via velejo)

(Fonte: falso-mentiroso)

27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 27.778 notas [via/source]
"Mania de jogar o cabelo pro lado. Mania de sorrir quando sente alguém olhando demais. Mania de coçar os olhos e olhar o visor do celular como se houvesse chegado alguma coisa e não viu. Mania de estudar escutando música e revirar os olhos sempre que escuta, ouve ou vê alguma bobagem. De sorrisos, de olhares, de vozes e cheiros. Mania de achar que nem tudo é aquilo que se vê. De imaginar situações com quem nunca viu e se arrepiar, sorrir, se desesperar por isso. Mania de fechar os olhos antes de dormir e te desejar boa noite em pensamento, dorme bem, sonha comigo, te quero muito e bem."
Caio Fernando Abreu. (via velejo)

(Fonte: incredular)

27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 4.789 notas [via/source]
"Foi apenas um toque, um beijo e um perfume que não era meu na minha roupa. E algumas lembranças de você sorrindo. Era tudo que eu tinha de você, e você tinha tudo de mim, tudo."
A culpa é mesmo das estrelas?   (via velejo)

(Fonte: alentador)

27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 6.487 notas [via/source]
"Sou eu, de novo. Foi mal, precisei sumir um tempo. Você me pegou de surpresa e eu tinha de pensar. Por isso não atendia telefone, campainha, carteiro e tudo isso. Mas aposto que você nem chorou. Não como eu chorei. Você nem é disso. Então, dei esse tempo pra mim. Pra nós, principalmente. E resolvi aceitar sua proposta, se tiver de pé. E aí, você quer mesmo morar comigo? Se não mudou de ideia, estou pronta. Falei com minha mãe. Ela disse que não era bem assim, que eu ia me arrepender, que tudo tem seu tempo. Mas bati o pé. Disse que estava decidida. Tudo no seu tempo, mas do meu jeito. Viu como é quando quero uma coisa? Vai se acostumando. A coisa está um inferno por aqui. A velha achou mais um nódulo e vai fazer uns exames na terça-feira. Deve ser benigno outra vez, mas ela quer porque quer ter um câncer. Na boa, não deve ser o sonho de toda mãe, mas certamente é o da minha. Essa será a sua sogra, o que você acha? Dá tempo ainda de mudar de ideia, só me avisa. Senti sua ausência. Quero dizer, minha ausência. Mas foi bom. Se ficar longe foi essa tortura, ficar tão perto não deve ser tão ruim assim. Mas ainda não penso que seja amor, não me convenci disso. É melhor. Sei lá, a palavra “amor” me remete a uma casa, um homem e uma mulher, cachorros, contas a pagar, planos de morar num lugar maior. Não dá pra ser amor entre duas crianças grandes num apartamento de um quarto só, dá? Tem muito mais entre a gente, essa incógnita de dois que sabem que não foram feitos pra durar. Você não quer saber nada do meu passado, eu quero saber do seu, mas você quase não abre a boca, e só diz o que interessa. Mas tudo bem, de verdade. Ou bom ou pra sempre. As duas coisas são incompatíveis. Minha mãe disse que não ia dar certo. E eu nem falei nada. Contei apenas que ia morar com alguém, pra dividir as despesas, essa coisa de preciso-do-meu-espaço, de ser independente e blá-blá-blá. Mas a coroa sacou na hora. Ela sabe que sou individualista, que gosto de comida na hora, que me nego a pagar a luz. Era meio óbvio que a força motriz só podia ser algo maior, não é? Mas deixei ela pensando o que quisesse, como ela faz com os abcessos achando que é algum tipo letal de sarcoma. As brigas podem esperar, não é? Diz alguma coisa. Voltei a ir na minha analista. Eu sei que você a odeia, diz que ela quase destruiu a gente uma vez, mas para de ladainha, poxa. Ela me ajudou. Sério! Esse negócio de deixar minha mãe pra trás. Racionalizei a minha culpa e percebi que estava sendo idiota. O que separa o passado inaceitável do recomeço inevitável é o período em que você para de negar e se permite sentir raiva. Muita raiva. Não foi bem isso que ela falou, mas foi o que entendi. Ou quis entender. Eu queria morar contigo e pronto. Tem lugar para os meus sapatos? Talvez aquela ideia de pendurar tudo num saco pra fora da janela não seja tão estúpida. Brincadeira. Aposto três meses de aluguel adiantado que você consegue lugar pra mim dando um jeito naquele seu roupeiro. Você pode doar algumas camisetas, as mais desbotadas, ou seja, quase todas. Agora me dei conta do que falei, então não pensa que já estou tentando te mudar, óquêi? Acho que semana que vem estou pintando aí. Estou com vontade da tua boca. Só me sinto segura perto dela, assim eu sei que ela não está fazendo bobagem por aí. Fez frio esses dias. Você não acha? E olha que já é novembro. Mas pra você tanto faz, nunca vi tão calorento. Seja julho ou fevereiro, você sempre acorda empapado. Anda com algum sonho ruim? É comigo? Se for, não me conta, não quero saber. Dormindo contigo, eu nunca me sinto gelada, pelo menos, adoro acordar de manhã com a lombar cheia do seu suor. Aliás, precisamos ver umas cortinas para o seu quarto. Opa, nosso quarto. Ainda não me acostumei. Vai levar um tempo. Tomara, porque se a gente começar a se sentir casado, vamos estragar tudo. Também pensa assim? Estou contando os dias. Quero sentir o cheiro da sua cama bagunçada de novo. E assistir você caminhar nu até o banheiro. Sua bunda é fofa. Não vamos ter filhos. Nunca. Tudo bem pra você? Se bem que nunca é uma palavra que não funciona nunca comigo. Nunca. Eu disse que nunca ia morar contigo. Que nunca mais queria te ver. Gritei uma vez pra você nunca mais tocar em mim, lembra? Mas é que você faz isso tão bem. É como se o meu corpo fosse teu. Um brinquedo que você monta e desmonta, vai mexendo nos parafusinhos, fuçando peça por peça, sem nem precisar ler o manual. Sei lá, não me pergunte como consegui dar essa desaparecida. Quando estava de pé queria ficar sentada, quando me sentava precisava levantar. É como dirigir à noite numa rua deserta e toda esburacada. Uma agonia doida. Um vazio. Uma vontade de sair da própria pele e telefonar, só pra te ouvir falando suas monossílabas pra dentro. Talvez resistisse mais, assinando uma tevê com mais canais ou engordando a geladeira. Mas eu só deitava e esperava. Se eu resolver outra vez ficar longe, pelo menos espero que me dê um bom motivo. Faz isso por mim? Digo, se for pra dar errado, você pode me fazer o favor de ferrar com tudo de uma vez? Me sinto ridícula escrevendo essa carta. Eu saí tanto de mim pra entrar na tua que até me sinto uma estranha dentro de mim mesma. E eu sempre tive medo de estranhos. Entende? Você está aí ainda? Você também deve estar achando patético ler isso. Te conheço. Eu não sei se você também não sabe o que mesmo estamos tanto esperando para nos encontrar."
Gabito Nunes, você quer mesmo morar comigo?   (via perigeu)

(Fonte: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)

27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 11.544 notas [via/source] como pode essas crianças de 11 anos já terem essa cara de quengas

(Fonte: )

27.9.2014, Há 3 semanas + reblog + 106.818 notas [via/source]
21.9.2014, Há 4 semanas + reblog + 237 notas [via/source]
"Aprende que a vida é um joguinho de video game, daqueles bem fudidos mesmo. Ganha quem souber jogar e driblar os problemas."
— Outubro, 21. (via doistonsdeamor)

(Fonte: manuscritas)

21.9.2014, Há 4 semanas + reblog + 16.927 notas [via/source]
"Por você, faria isso mil vezes!"
O Caçador de Pipas. (via se-eu-pudesse)

(Fonte: julgando)

19.9.2014, Há 1 mês + reblog + 1.613 notas [via/source]
"Ela disse uma coisa tão sem graça, mas eu sorri. Foi tão espontâneo, tão inocente, queria aquele momento para se repetir várias vezes ao dia."
O Teorema Katherine.    (via recomecas)
16.9.2014, Há 1 mês + reblog + 653 notas [via/source]
"Vou logo deixando claro, eu gosto mesmo é quando você me chama por um apelido carinhoso. Vou logo deixando claro, eu gosto é quando você me abraça por trás e prendendo meus braços, retruca: vai amor, tenta se soltar. Vou logo deixando claro, eu gosto é quando você me senta em seu colo, dá um beijo em meu pescoço, faz aquele carinho gostoso - que deixarei bem claro- só você sabe fazer. Vou logo deixando claro, eu gosto é quando nossos lábios se encontram, e se beijam deliciosamente como no nosso primeiro encontro. Vou logo deixando claro, sou uma louca e eterna apaixonada por você."
Tati Bernardi (via velejo)

(Fonte: sintoso)

THEME BY ʀɳ